Técnica orientada pela Emater-RO a pecuaristas gera aumento na produção de leite em Rondônia

 

Rondônia tem uma média de produção acima de 2,2 milhões de litros de leite por dia, sendo considerado o maior produtor de leite da região Norte e a 9ª maior bacia leiteira do País. A pecuária leiteira conta com o incentivo do Governo de Rondônia, por meio da Entidade Autárquica de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater-RO), onde extensionistas da autarquia prestam assistência a produtores rurais do estado com técnicas e novas metodologias para aumentar a produção.

Com esse trabalho, extensionistas da Emater-RO constataram em um sítio, a 15 quilômetros da sede do município de Vale do Anari, que o aumento na produção de leite se deve principalmente ao tratamento carinhoso dispensado pelos proprietários, Ademar Aparecido da Silva e sua esposa, Táfine, às vacas e bezerros.

No período de quatro meses de 2020, a média na produção de leite no sítio subiu de 100 litros para 500 litros diários, após a adesão dos donos à nova metodologia de gestão para pequenas e médias propriedades rurais recomendadas pelos extensionistas. Segundo o técnico agrícola, André Ferreira Cortês, chama a atenção das pessoas que visitam a propriedade, a sensação de harmonia entre os humanos e os bovinos. “É impressionante, as vacas e os bezerros reconhecem a voz da Táfine”, disse.

Táfine Silva admite sentir verdadeira paixão em cuidar das vacas, da ordenha e dos bezerros. “Cada vaca tem nome. Elas mugem quando as chamo”. Os bezerros dormem no curral próximo à janela do quarto do casal. Ao primeiro gesto de Táfine ao abrir a janela pela manhã, se aproximam para ouvir sua voz.

Ademar Silva largou a vida de empregado na cidade há 20 anos e mudou para a zona rural. Diz que atualmente “mexe” com gado de leite e bezerros. “Mas minha vida somente começou a melhorar depois que descobri que produzir leite dá dinheiro”.

GERENCIAMENTO
A nova metodologia em gestão de propriedade rural recomendada pelos extensionistas da Emater-RO a pequenos e médios produtores do município na região é responsável pelo aumento da produção de leite, melhoramento genético do gado e liberação de financiamentos do Programa Nacional do Fortalecimento da Agricultura (Pronaf) Mais Alimento. A unidade atende aos produtores desde 2006, quando o escritório foi inaugurado para prestar assistência técnica e extensão rural.

André Cortês ressalta que a procura tem aumentado muito. A equipe, conta com apoio de cinco extensionistas rurais, dentre os quais um médico veterinário que, além de prestar assistência rural às famílias cadastradas, elaborou também um projeto independente para incentivar a inseminação artificial e já cadastrou mais 30 famílias interessadas na melhoria genética das matrizes leiteiras e reprodutores. Com o avanço das técnicas de inseminação, garante André Cortês, o ciclo de reprodução na gestão da propriedade se torna mais rápido e o fim do “desmonte” ajuda na melhoria da economia financeira.