Calendário completo de depósitos e saques da 4ª parcela do auxílio emergencial

A tão aguardada quarta parcela do auxílio emergencial começou a ser paga na última semana. Porém, os beneficiários não precisam mais se preocupar, pois o Governo Federal afirmou a prorrogação do benefício até outubro.

A decisão de estender o auxílio emergencial diante da promoção de mais três parcelas está relacionada à sobra orçamentária do programa em virtude das constantes exclusões de cidadãos que não estão de acordo com os critérios de acesso ao benefício.

Pode-se dizer também que, é uma maneira de amparar os cidadãos brasileiros por mais alguns meses, enquanto o novo Bolsa Família não é concluído e lançado.

Enquanto isso, a Caixa Econômica Federal (CEF) se concentra em efetuar os pagamentos da quarta parcela que tiveram início no último sábado, 17, para os nascidos em janeiro. O calendário de depósitos deve ser concluído no dia 30 de julho com os aniversariantes de dezembro. 

Esses beneficiários não podem se esquecer que estão submetidos a dois calendários, um de depósitos e outro de saques e transferências. Esta distinção se aplica exclusivamente ao grupo geral composto por desempregados, trabalhadores autônomos, cidadãos de baixa renda inscritos no Cadastro Único (CadÚnico), e Microempreendedores Individuais (MEI).

O calendário de saques e transferências do auxílio emergencial para o público geral começa a vigorar no dia 2 de agosto para os aniversariantes de janeiro. Os últimos a serem liberados para realizar saques em espécie e transferências são os nascidos em dezembro no dia 18 de agosto.

Por outro lado, os beneficiários inscritos no programa de transferência de renda, Bolsa Família, devem se atentar a apenas um calendário de pagamentos. Este grupo receberá o auxílio emergencial no formato original do programa, ou seja, nos últimos dez dias úteis de cada mês seguindo a ordem do dígito final do Número de Identificação Social (NIS).

 

Sendo assim, os inscritos no Bolsa Família cujo NIS termina em 1 receberam os primeiros depósitos da quarta parcela do auxílio emergencial nesta segunda-feira, 19.

O cronograma de pagamentos ocorrerá gradativamente, até que o último subgrupo composto pelos cidadãos cujo NIS termina em 0 recebam o benefício no dia 30 de julho. 

 

Caixa Tem

Criado em 2020 para unificar o pagamento do auxílio emergencial e evitar aglomerações nas agências bancárias, o aplicativo Caixa Tem continua ativo. É por meio dele que a Caixa Econômica tem efetuado os depósitos para os beneficiários de ambos os grupos, geral e Bolsa Família.

 

A conta poupança social digital é gratuita, sendo assim não cobra nenhuma tarifa de manutenção pelo uso da plataforma digital. No entanto, há algumas limitações.

Os clientes do Caixa Tem podem fazer transferências no valor máximo de R$ 600, se limitando a duas transferências por dia, totalizando em R$ 1.200. Enquanto isso, o teto de movimentações durante todo o mês é de R$ 5 mil.

 

Estas são algumas das ferramentas e serviços disponíveis na conta poupança social digital:

 

Pagar boletos online;

Realizar pagamentos na Casa Lotérica;

Fazer recarga de telefone celular vinculado a qualquer operadora;

Contratar o Seguro Apoio Família;

Obter dicas financeiras;

Realizar compras online com o cartão de débito virtual;

Realizar compras presenciais mediante a leitura do QR Code emitido pela máquina de cartão do estabelecimento comercial;

Informar os rendimentos de pessoa física;

Consultar o Número de Identificação Social (NIS);

Consultar o Bolsa Família;

Receber o Seguro Desemprego;

Fazer transferências via TED e DOC;

Fazer transferências e efetuar pagamentos com a chave PIX;

Consultar o extrato de movimentação da conta poupança.

Valor do auxílio emergencial

Em 2020, o Governo Federal junto ao Ministério da Cidadania pagou cinco parcelas no valor de R$ 600 entre abril e agosto, além de outras quatro parcelas no valor de R$ 300 até dezembro. Na situação específica das mães solteiras chefes de famílias monoparentais tiveram, elas tiveram direito à cota dupla, recebendo R$ 1.200 e R$ 600, respectivamente.

 

Para viabilizar o auxílio emergencial em 2021 foi preciso alterar os valores pagos. Portanto, os beneficiários que moram sozinhos recebem parcelas de R$ 150, enquanto os chefes de grupos familiares que fazem parte do público geral são contemplados pela quantia média de R$ 250. Por fim, a cota máxima de R$ 375 é destinada às mães solteiras chefes de famílias monoparentais.

FDR